Antes da reforma, a praça Mauá era um tanto sinistra, degrada, suja e era simplesmente um local de passagem. O viaduto da Perimetral não ajudava, pois deixava o lugar obscuro. Por outro lado, durante a demolição do viaduto, a cidade ficou um caos. Eu mesma fui testemunha disso com horas e horas perdidos no trânsito, era um inferno.

Visto que nesse dia tinha tempo livre, resolvi ir lá. O acesso é fácil, fui andando da Avenida Presidente Vargas, pois dali passa diversas linhas de ônibus e estações de metrô. Entretanto não estava preparada para a paisagem que me aguardava. No momento em que cheguei e vi aquele espaço enorme pensei “valeu a pena todo aquele inferno”.

Para minha sorte, o dia que pude ir era uma terça-feira, dia em que os museus têm entrada gratuita, mas cheguei já no meio da tarde e meu tempo era curto. Então fui direto ao Museu de Arte do Rio (MAR), que ocupa o espaço proveniente de 3 edifícios distintos: o Palacete Dom João, o prédio da Polícia e a antiga rodoviária do Rio. Logo após ver rapidamente algumas exposições corri ao terraço, que tem um restaurante também, para apreciar a vista. Em seguida, depois que tirei muitas fotos fui ao Museu do Amanhã que estava com uma fila enorme me fazendo desistir de entrar. Portanto, se você deseja visitá-lo, vá cedo.

Haviam muitos guardas municipais espalhados e turistas. Me senti à vontade também, apesar de me manter sempre alerta (força do hábito, infelizmente). Olhando ao redor foi incrível ver o mar, os prédios e o navio parado no píer.

pessoas na cobertura do museu do rio

Senti falta de sombra, coisa essencial no calor do Rio. Mas as árvores plantadas ainda estão pequenas, então é questão de tempo para melhorar esse aspecto.

Dica

Uma dica é caminhar envolta do Museu do Amanhã para apreciar a arquitetura do edifício, assim como de lá pode-se ver a cidade de um novo ângulo com o Mosteiro de São Bento no alto.

Certamente voltarei e indico como um ótimo passeio em família, a dois e até mesmo sozinha, como eu fiz.

Write A Comment